domingo, 9 de agosto de 2009

Programa da festa



Cá temos nós então mais uma festa na nossa santa terrinha.

Embora dê a ideia de ser um programa curto, pelo que consta será de boa qualidade.

Desde que me conheço, não tenho ideia de alguma vez ter falhado a festa do S. Bernardo e embora não me lembre de todas elas, sei que anos houve em que a programação incluiu variadas e inúmeras actividades, desde jogos de futebol, torneios de tiro aos pratos, motocross, jogos tradicionais e se calhar ainda outras que agora me escapam. Não é que me esteja a queixar do programa deste ano, de maneira nenhuma, mas apenas a relembrar outros tempos.

A mim basta-me a ideia da própria festa em si. É sempre motivo bastante para reencontrar velhos amigos e confraternizar, recordando sempre bons e alegres momentos partilhados.

Embora não seja dos que dizem mal de quem faz, no entanto, tenho-me interrogado sobre alguns aspectos, os quais revelam somente um acto de pura curiosidade e não pretendem reflectir qualquer intenção critica de maledicência.

Sabendo que o dia da comemoração de S. Bernardo é o dia 20 de Agosto, dia da sua morte (1090-1153), no meu entender, ou se festejava nesse mesmo dia ou então no sábado seguinte, como tem sido hábito e aproveitando mais o tempo de lazer dos nossos conterrâneos.

Também não me identifico muito com a ideia de contratar grandes artistas que, com os seus escandolosos cachet's e em pouco mais de uma hora "esfolam" ali o trabalho de um ano inteiro. Apesar de ser uma tendência natural das comissões de festas, a qual se percebe pelo objectivo apelativo de público, por vezes mais não são do que concertos de música pimba em que pasmados nos pomos para lá a olhar, perdendo-se dessa forma o tão popular e divertido bailarico.

Outra coisa que, no meu entender, retira alguma alegria a uma festa é a ausência de fogo. Embora se tenha tornado interdito o lançamento de fogo de artíficio de cana, sempre haveria a possibilidade do fogo de canhão.

Por erro da gráfica, não consta no cartaz que, a procissão decorrerá com o acompanhamento de cavalos montados pela GNR. Uma novidade nesta festa e que poderá resultar num interessante pormenor.

20 comentários:

cantoneira disse...

Seródio, para tua informação ou talvez por mero esqueçimento teu, já tivemos uma procissão em Santa Comba onde esteve a GNR mntada a cavalo, isto para que saibas os mordomos da festa faziam tanta questão em ter cá o Quim Barreiros e como era o único dia em que ele estava disponível tiveram de optar por o dia 21 para a festa. Bjs a todos os conterrâneos e até breve.

duarte disse...

Pois... a festa...
Concordo contigo quanto à exorbitancia dos cachets, mas devo reconhecer que se anunciado ( sem hora precisa , bastava que o cartaz dissesse: 21h inicio do arraial popular abrilhantado por x e quim barreiros), pode trazer muitos dividendos. os dias... enfim, que podemos nós fazer? recuperar no domingo!
quanto aos cavalos , sempre gostei de ver correr e saltar. como tambem gosto de mulas, matchos e burros. De qualquer das formas: PARABÉNS A ESTA GENTE QUE PASSOU 1 ANO A DAR O CORPO AO MANIFESTO! BEM HAJAM!
E claro lá estaremos. só falta convençer o pôl.

monge disse...

Cantoneira, para te ser sincero não me lembro de cavalos, talvez por que tivesse ficado na conversa com alguém e não tivesse ido à procissão, o que já aconteceu. Ultimamente tenho participado em todas, embora não alombe com os andores porque já ando meio esquadrilhado, e além disso já levei grande parte deles, assim como as bandeiras. Quanto ao cantante, também sei que foi uma aposta desta comissão de festas, mas mesmo assim continuo a preferir um bom bailarico, à moda antiga. Bjs

monge disse...

olá Duarte,

pois, o músico vai-se ali a abifar com grande parte da receita que, esta comissão de festas andou a amealhar, como tu dizes, e muito bem, durante um ano inteiro a dar no duro. Mas o que realmente importa é que as pessoas se divirtam e que isso também traga dividendos para a festa. Tal como tu, também aqui renovo os parabéns a esta comissão de festas: BEM HAJAM!
E obviamente lá estaremos todos!

abraço

cantoneira disse...

Seródio,já tinha dito que a nossa procissão teve em tempos GNR montada a cavalo e para te provar isso mandei-te uma foto para o teu mail, isto devia ter sido a cinco ou seis anos não te sei precisar ao certo.

A.Silva disse...

Boa tarde amigos e conterrâneos!
Subscrevo, em parte, o texto do Seródio, só que infelizmente hoje em dia é mais valorizado o arraial do que propriamente a festa religiosa(cantoneira, tens razão…lembro-me da GNR a cavalo)
O Quim Barreiros poderá ser o pilar para uma boa receita, não podemos é cometer erros do passado, em que os “comes e bebes” estavam concentrados num único local(e por sinal mais situado).
Não podemos esquecer a tão badalada crise, numa altura destas é de louvar um programa recheado de qualidade(pouco mas bom…digo eu) em que, realmente, o dia forte não deveria ser a 6ª feira.
A melhor escolha seria manter o arraial na 6ª feira e a parte religiosa ficaria para sábado, mas como diria o outro…”festa é festa, venha uma sardinha para 4”
Aquele abraço!

A.Silva

Ricardo D disse...

Ola..
Deixando os cavalos de lado..
alguem se lembra de como era excitante para as pessoas,os dias que antecedem á festa,de como as ruas estavam decoradas e repletas de gente ate altas horas da noite?
apesar de ainda ser novo,lembro-me muito bem,e sinto uma enorme tristesa por ver a aldeia agora..
Por vezes sinto que vivo numa aldeia fantasma.As pessoas estao cada vez mais fechadas e sem alegria de viver.As festam agora so servem para as pessoas comentarem e exibirem o que cada um traz vestido,e para os restantes terem desculpa para se embebedarem.Dao cada vez mais importancia aos valores esteriores que aos interiores.Deixaram-se cair na mesquinhes e na arrogancia,fazem da vida quotidiana uma novela,preocupam-se mais com a vida alheia que com a sua propria vida,e esqueceram valores murais e culturais.Vivem de faxadas que criam..
Esta nao é a aldeia onde eu cresci.
Nao me lembro de haver problemas em arranjar pessoas para a comissao de festas,e de alguns anos para cá,ja nao é assim.Este ano se nao fossem os(cotas),como eu lhe chamo,certamente ninguem queria fazer parte da comissao.Mas mesmo assim as pessoas ainda criticam e apontam defeitos a como as coisas estao a ser feitas...N consigo entender isso.N consigo entender como a mentalidade das pessoas parou no tempo e so 2,3,conseguem acompanhar o que quero dizer.(nao é que eu seja grande cranio,mas...)
Quis apenas dar a minha opiniao,desculpem erros ortograficos,e se alguem nao entendeu ou discorda da minha opiniao,convido-o a ter umas conversas para poder esclarecer melhor o que digo..
abrçs

cantoneira disse...

Ricardo, concordo plenamente contigo. Como dizes ainda és muito novo e não te poderias lembrar das festas que eram feitas no tempo em que os teus pais eram ainda adolescentes, pois eu sou mais ou menos da idade deles, e era realmente uma festa, pois a gente passava dias a enfeitar a aldeia com fitas de papel feitas por nós agora já nem das plasticas há. Só no ultimo dia é que vão pendurar algumas no largo da festa, penso eu.Também era uma festa andar calçada abaixo e acima a vender as flores de tecido que prendiamos á camisa de quem queria compra-las.Agora realmente tens toda a razão já ninguém se importa com o seu proximo, é cada um por si, já não se vê aqueles grupos de malta jovem a divertirem-se, hoje só se sabem encostar aos cantos com um copo na mão e pouco mais. Estamos quase na festa e não se nota grande euforia na aldeia.Ainda não sou muito velha nem me considere engane-se quem o pense mas quem me derá os tempos da minha mocidade em que realmente eramos todos unidos.Até breve vizinho.

seródio disse...

olá Ricardo D

curiosamente, nunca me tinha apercebido de tanta coisa que disseste,se calhar por ser tão distraído. Já houve alturas em que os dias que antecediam a festa eram um gozo antecipado da festa. Outros tempos!
Vamos ter de acreditar que estes "cotas" manisfestaram, desde logo, a vontade de fazer uma grande festa. E para isso estamos lá nós.
Se queres que te diga, para mim a festa é um local de reencontros, o que logo por si implica alguns copos (onde for).

abrç

seródio disse...

ó cantoneira,

é verdade! Que é feito dessas rosinhas? Já lá vão uns tempos!
Também eu ainda andei a colar dessas fitas para pôr pela aldeia. Realmente, notava-se ali um trabalho feito por todos, com a mesma vontade de fazer uma grande festa. Como há-de ser feita!

Ligia disse...

ja a mt tempo k n vou a festa da terrinha e n m tinha apercebido k as coisas tavam tao diferentes...e verdade k os jovens de agora ja n s divertem como antes, ainda m lembro dakelas eiras cheias d grupos agora 1 pessoa passa e ta td as moscas a noite 1 pessoa ate tem medo d passar por ali tao deserto k akilo ta.agora as noites sao passadas nos cafes a beber 1s copos....como mudou a nossa terra!e verdade ainda fazem bazar?pa mim era 1 dos melhores momentos k antecipava a festa ir pedir a bonecada k toda a gente ja tinha pronta a espera k fossemos buscar e dp enrolar montes de papelinhos pas rimas, enkuanto 1s tratavam disso outro grupo fazia as fitas de papel coladas c cola de farinha e agua k enfeitavam e davam cor a aldeia...k saudades!!!bjinhos...ate breve

O PIÃOZÃO disse...

Ola conterraneos espero que estejam todos de saude.
pois é mais uma festa, mais um ano e MAIS UMA VEZ TUDO A CRITICAR O QUE SE FAZ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Quer dizer toda jente fala e critica o que é fácil.
Porquê nós os mais jovens não nos juntamos e fazemos para o ano que vem uma NÓS??
Todos temos ideias e inovações a fazer porque não??
Depois de a fazer então sim temos o direito de criticar ou até axar mal ou bem o que os proximos irão fazer.

vilarinho disse...

Olhem o que encontrei...como é bom saber que somos visitados e apreciados. Merece ser visitado. O Srº Alberto de certeza que se sentirá "concho".
http://divasecontrabaixos.blogspot.com/2009/06/aldeias-da-minhavossa-vida.html

seródio disse...

olá Vilarinho

obrigado pela visita e pela indicação que nos deixas, pois é sempre interessante saber de alguém que nos visita e que nos deixa palavras e fotografias das nossas terras e das nossas gentes.
Aconselho a todos os conterrãneos a dar um salto a:

http://divasecontrabaixos.blogspot.com/2009/06/aldeias-da-minhavossa-vida.html

Maria disse...

Obrigada pelas suas palavras. Gostei mesmo daquela surpresa, a descoberta de Sta Comba no caminho. E foi bom "ouvir" agora alguém desse lugar e voltar à descoberta ;)

Abraço grande
M. Rosário

http://divasecontrabaixos.blogspot.com/2009/06/aldeias-da-minhavossa-vida.html

duarte disse...

AS SURPRESAS REVELAM-SE POR INTERMÉDIO DE PORMENORES QUE FAZEM TODA A DIFERENÇA...
O SONHO CONTINUA, E AS PESSOAS PASSAM.

cantoneira disse...

estradas1969inkshoí Seródio, vi-te de longe na nosa procissão e pensava que mais umavez nos ías presentear com a nossa festa no teu blog pois é uma pena se não o fizeres. Fui á procissão de Vila Flor, pela 1ª vez na vida, pois fiquei desiludida nunca pensei que Vila Flor tivesse uns andores tão pequenos e tão "pobres", pois desculpem quem achar o contrário mas na minha opinião mais pareciam caixotes de sardinhas antigos enfeitados com flores, do que mais gostei foi o do Santo Antão da Barca. Digo no entanto que os arranjos florais estavam simples e bonitinhos mas em si a procissão estava muito pobrezinha, penssava que em Vila Flor fosse uma procissão mais grandiosa. A nossa, não é por ser nossa , mas é digna de ser vista pois cada mordoma tem orgulho e talvez um pouco de vaidade a mais para enfeitar o seu andor e tentar que seja ele o mais bonito da procisão. Quanto aos cavalos estavam mais uma vez lindisimos e bem coordenados para acompanhar uma procissão daquelas. Espero por nóticias tuas em breve, pois sei que daqui em diante vais estar mais ocupado devido a tua profissão.Xau...

Anónimo disse...

Como não pude estar presente na festa gostaria de saber se vão publicar como esta decorreu?

seródio disse...

olá conterrâneos

a edição do post sobre a procissão seguirá dentro em breve, isto porque as (poucas) fotos que tirei ficaram num formato muito grande e não as consigo editar no blog. Entrato já as converti no formato adequado e talvez amanhã já as consiga colocar.

até breve

p.s.: ainda assim, se houver outros conterrâneos que tiraram fotos e que as queiram ver editadas, podem enviá-las para o endereço do blog

Anónimo disse...

ola a todos!!!sou a Mariana a filha mais velha da Lucinda e neta do falecido Ze "sen alma".gostaba de enkontrar a Julia "cantoneira" a minha mae e ela eram muito amigas,e ja a muitos anos ke nao sabem uma da outra.Este ano gostaba de fazer uma sorpresa a minha mae enkontrando o contacto da Julia.Se alguem o tiver o se ela mesma ve esta mensagem digam kualker koisa.....o meu mail e:mariana_polido@hotmail.com.obrigado a todos e umas boas festas...!!!!!