quinta-feira, 2 de outubro de 2008

CHORO DA MOURA

"Há em Santa Comba da Vilariça, concelho de Vila Flor, uma fonte de água muita pura, à qual está ligada a lenda de uma moura.

Diz o povo que, há muito, muito tempo, viveu nestas terras uma princesa moura, que, quando os cristãos e os mouros deixaram de guerrear-se, sonhou em casar com um jovem cristão. Estava então tudo preparado para o casamento quando chegaram notícias de mais uma guerra entre cristãos e mouros.
O noivo teve por isso de partir para o campo de batalha, no cumprimento do seu dever. E nessa batalha acabou por morrer. Acontece que a princesa moura continuou a esperá-lo. E como o noivo nunca mais aparecia, todos os dias ela chorava lágrimas e lágrimas de saudades. E dessas lágrimas – diz o povo – nasceu uma fonte, que hoje lá continua. E os murmúrios da água a correr lembram o choro constante da moura inconsolável".

A nossa botelha-menina enviou esta lenda, ao que consta pertencente a Santa Comba. É certo e sabido que, lendas sobre mouras abundam por toda a tradição oral nas mais variadas versões.

Embora já a tenha lido algures e conheça pessoalmente quem a editou na sua tese de doutoramento, não me recordo de ter crescido com esta lenda na memória. No entanto, julgo lembrar-me de ter lido, na mesma tese, outras lendas sobre a nossa terra, das quais aqui darei conhecimento numa outra altura.

Ainda assim, se alguém tiver conhecimento de outras manifestações da nossa tradição oral, poderá também usar este espaço para as partilhar com todos os outros.

3 comentários:

A. Silva disse...

Viva!
Seródio,faço um apelo à tua boa compreensão pelo facto de utilizar este espaço para a divulgação de um (“pequeno”) evento a realizar em Santa Comba de Vilariça.
Assim sendo,passo à respectiva divulgação:
- Estão a decorrer as XI Jornadas Culturais de Balsemão (organização a cargo do “convento de Balsemão - Chacim”) no concelho de Vila Flor, a organização preferiu, e muito bem, um restaurante (não menciono qual deles para evitar publicidade) da nossa terra para a realização do jantar de sábado (04/10).
Evidentemente que o evento não será este, mas sim a actuação do Grupo Musical «Quinteto do Reis 84” (com música popular portuguesa) no largo das Eiras, para além da diversão, pretende-se ajudar, com este tipo de iniciativas, a Comissão de Festas que bem merecem e precisam!
A Comissão de Festas estará a agendar uma sardinhada, contudo, não posso garantir com toda a certeza as sardinhas assadas…dificuldades de aprovisionamento (ouvi dizer).
Esta actuação (com duração prevista de uma hora) não trará qualquer custo financeiro para os cofres das entidades locais, somente boa vontade de todos e apoio logístico.
Face ao exposto,por volta das 21 horas, comparece!!! Ah, já me esquecia, se O São Pedro não o permitir, a actuação será no salão da Junta de Freguesia – na Av. D. Lucinda de Oliveira.

Aquele abraço!
Obrigado Seródio…
A. Silva

seródio disse...

Olá a.silva

Que este espaço sirva sempre para divulgar eventos que dignifiquem e divulguem a nossa terra, pois ele quer-se de nós todos. O programa é deveras tentador. Só espero poder chegar a tempo para consolar o bandulho com umas ricas sardinhas a pingar no pão.
Até lá.
Outro abraço, daqueles.

duarte disse...

devo confessar que não sou muito dado a lendas ou mitos,mas também devo acrescentar que não aparecem por acaso.já agora essa fonte existe? ou também pertnce à lenda?
pois ó seródio,seria interessante passar essas lendas do papel para o palco...