domingo, 1 de junho de 2008

(a)pára-raios





Por falar em trovodas ...

Nunca tinha visto tão de perto um pára-raios. Acreditem que até lhe toquei com algum receio, desconfiado de alguma carga ainda armazenada de algum raio que tivesse aparado.

Na minha meninice cheguei a pensar que o pára-raios nos protegia porque afastava o raio. Coisas de garoto. Mas não, o pára-raios também tem o nome de "captor", para que as descargas atmosféricas sejam enviadas directamente para a terra protegendo as suas imediações, evitando-se dessa maneira danos colaterais, pondo em risco as pessoas e o património.

Não sei quantos raios este aparou, mas já não deve aparar muitos mais, agora que, repousa sossegada e longamente deitado sobre o telhado da Casa do Povo. Talvez se tenha cansado de proteger o património.


Curiosidade relacionada: o pára-raios foi inventado por Benjamin Franklin em 1752. Inicialmente houve resistência das religiões porque raio era considerado fúria de Deus e o homem não podia interferir.

15 comentários:

A.Silva disse...

Olá “Sr. Seródio”
Antes de mais, quero felicitá-lo pelo blog, está muito bem conseguido e vai, com certeza, transmitir-nos, através do seu conhecimento e daqueles mais idosos que consigo convivem e conviveram, “estórias” engraçadas, de uma certa tradição local.
Relativamente ao seu pseudónimo, bem pensado, após alguma pesquisa (basta conjugar certos factos e analisar o subtítulo do blog - «só se lembra dos caminhos (…)”- e a redacção dos textos) descobri quem estava por detrás deste trabalho, há características que não se conseguem camuflar.
Aproveito para adiantar que, brevemente, teremos mais um blog relativo à nossa Terra Natal, ah pois é!
Aguardo com alguma ansiedade a página na Internet, quem sabe não estejamos perante umas das melhores páginas de sempre editadas via Internet, pelo menos recheada com muito apreço.
Obrigado por esta dedicação e sentimentalismo, desejo-lhe o mesmo sucesso do seu homólogo “ Prof. Aníbal G.”
Cumprimentos,

A.Silva

seródio disse...

Olá a.silva

Obrigado pela visita e sê sempre bem vindo a este espaço que se quer ser de todos. Fundamentalmente, o que se pretende é mostrar tudo o que se possa para melhor se conhecer e engrandecer a nossa terra.
Agora quanto ao futuro, se bem que não possa (nem queira) trilhar o rumo do meu amigo Aníbal, o sucesso deste blog, dependerá sobretudo da qualidade da informação, da sua importância local, assim como da sinceridade dos comentários aqui deixados. Como tu próprio bem disseste, que tudo seja feito com dedicação e sentimentalismo.
E que muitos blogs apareçam sempre com esses ideais!

Abraço

Sofia Vilares disse...

Olá sr seródio!
Afinal vai Haver outro...o k é preciso é alguem começar!
Esta terra é sempre a mesma coisa, porke n aproveitar um espaço k foi criado para todos participarem? É preciso outro? porke n dar continuidade? ate porke este foi criado para isso.... Mas esta Bem! (Lol)

duarte disse...

ola companheiros blogueiros.
Desde já parabéms pela iniciativa. tive conhecimento deste espaço há bem pouco tempo,e foi com prazer, que descobri e li os diversos comentários assim como apreciei as imagems... o que eu mais apreciei: o para-raios! pois é se calhar foi fruto de alguma borratcheira apanhada por simpatia...ou então caiu de tristeza por não haver raio que lhe ligue! ou se calhar, para simplesmente não fazer muita sombra ao "olmo"!! o olmo... se calhar agora para não cair de podre, talvez seja melhor enverniza-lo?!... já estou a ver a noticia nos jornais: " o olmo envernizado mais antigo do país"... ele é que leva uma grande "poda" e eu é que gózo.
abraços D.B.

duarte disse...

ola blogueiros
a.silva há muito que não apareces. gosto dos seus comentários... e aliás eu também vou criar um blog: sobre "o bardo"( como o camarada hernáni lhe chama),e já agora sobre as grandiosas bandas que desfilaram em cima daquele fungo chamado "coreto"...... mon ami des chaillots, estejamos de uma vez por todas unidos em torno daquilo que é nosso!
seródio,a onda criou-se... mas neste caso não morre na praia,com a ajuda de todos ela irá " de ilha em continente desvendando a espuma"...
db: um velho lobo que ronda o bardo

Botelha-Menina disse...

Camarada Duarte...
quanto ao coreto... ha mt que m pergunto para que raio queremos um coreno feito mono no meio do largo?!?!?
mas depois pensando melhor acho que a culpa é "nossa", santacombenses.
Sim nossa, ora pensa
quando ha festa: contrata-se bandas grandes, nao se mete nada a funcionar no coreto(sei la o bazar podia ir la para cima) pelo que vi a unica utilidade que tem na festa é os muidos correm la cima, mais as suas brincadeiras.
tirando a festa, o realmente se faz para dar alguma utilidade ao pobre mono? NIENTE
podia ser kk coisa: musica, poesia, teatro sei la um pouco de imaginaçao nao ira matar o nosso mono de estimaçao acho eu....
e mesmo assim a culpa continua a ser nossa... é pena mas é verdade :(

duarte disse...

menina botelha
a unica utilidade,que podera vir a ter será servir de entulho nalgum aterro... que me desculpem os fundamentalistas.

Anónimo disse...

O coreto é alto de mais para o diâmetro que tem...só é bom para prender os fios das lâmpadas da festa!mas com umas redes nos espaços abertos...dava um bom galinheiro... R.Neves

monge disse...

Realmente é do nosso património pelo qual não sinto orgulho nenhum ... quem me dera lá ver o tanque!
Concordo com todas as vossas opiniões, se bem que a do R.N. até talvez fosse a mais razoável ... punham-se lá as pitas e depois rematavam-se na festa ou vendiam-se em churrasco, sempre se dava alguma utilidade à coisa. Mas o que mais me admira, é ainda nenhum crianço ter aterrado cá em baixo e amolar os testos. Enfim, faz-se tanta subscrição pública e tanto referendo ... a demolição do coreto também poderia começar por ai.

A.Silva disse...

Boa tarde blogueiros.
Relativamente ao nosso querido monumento, o coreto, a minha opinião pessoal, menciono bem – opinião pessoal, é que este já há muito tempo estaria a servir de entulho, sabe-se lá onde…
Por mais esforço mental que faça, só encontro desvantagens na sua continuidade, reparem:
1 – Esteticamente, não lhe encontro qualquer característica proveitosa, muito menos no sentido arquitectónico;
2 – A sua localização prejudica a funcionalidade do largo das eiras, considerado por muitos como um dos melhores do concelho;
3 – Não serve como “arrecadação”, na sua parte inferior, devido a localização das escadas (não permite uma fácil circulação entrada/saída), no verão apresenta elevadas temperaturas (fora de questão ter produtos em stock com estas temperaturas) e relativamente para o efeito que foi construído? Sem comentários…aqui fica a definição: espécie de palanquete ou coro, construído ao ar livre, para concertos musicais. (???)

Ah!!! Lembrei-me de uma vantagem, aproveitar a sua sombra em dias quentes de verão, já que, infelizmente, ficamos sem o nosso olmo, mesmo assim a sombra do coreto não é lá grande coisa.
Em relação a este assunto,que não é de agora, já tive algumas conversas com conterrâneos nossos, posso adiantar que boa parte discorda da minha opinião, dizem até que o coreto é belo…
Aquele abraço!

A.Silva.

Anónimo disse...

Faco das palavras da minha grande amiga Patricia Lino as palavras do nosso coreto

"Estou frágil. As minhas pernas estremecem
Em tons de controvérsia e as minhas asas
Caem inertes sobre minhas mãos, que parecem
Mortas, de tão traídas e magoadas.

Minha alma grita em tons de misericórdia,
E meus olhos, meio abertos, deleitados
Em lágrimas de rebeldia e discórdia,
Se fecham constantemente, fragilizados.

Meu corpo arrasta-se, fraco e amordaçado,
Pelas insónias de fragilidade que a noite lhe traz.
Isola-se, fraquejando, imune e mortificado
Do prazer que jamais o satisfaz.

Minha boca, selada e constrangida,
Silencia-se em pausas de fraqueza
E, perdida entre volumetrias de desejos,
Afunda-se em singelos sinais de tristeza (...)"

Talvez possa passar por aí uma das funcionalidades do nosso coreto...sessões de poesia...
Fica a ideia..
R.N

duarte disse...

ola blogueiros
linda essa poesia r.n. pena não tenhas ido comigo ao forum da ANTA... existiram diversos,wrkshops: formação de actores, luminótecnia,sonoplastia,encenação,escrita criativa e painel de dirigentes... aì tu aperceber-te-ias que este coreto é de facto disfuncional( já agora, fui só ao forum e tive de levar com o painel de dirigente em representação da associação... é necessário juntar-nos e olharmos pela nossa terra sendo necessário , senão vital, "sacrificarmos" algum do nosso tempo.passa a palavra)

duarte disse...

caralho!!!
estou farto de levar com o cheiro dos cogumelos( ou melhor dizendo do estrume que ali é depositado,remexido e carregado)!
vamos fazer um abaixo-assinado,trazer cá os jornais,contactar com a querqus...
vamos fazer barulho porra!!!

botelha-menina disse...

oh duarte se te queixas c o cheiro imagina eu LOL... k fica mesmo do outro lado do monte...

nao era má ideia :|

José Matos disse...

Os coretos encerram história e cultura, são património a preservar para as gerações vindouras. Gostaria de ver opiniões mais positivas sobre o coreto de Santa Comba da Vilariça. Há coretos em Portugal com muito mais de 100 anos. Que tal pensar em adapta-lo as necessidades das bandas actuais, sem prejudicar a sua arquitectura?